A Finasterida é um medicamento que ficou famoso por seu uso no tratamento de quadros de alopecia (calvície).

Utilizado em pequenas doses para o tratamento da calvície, a Finasterida é uma substância que inibe a enzima 5-alfarredutase, responsável por converter testosterona em di-hidrotestosterona.

Porém o uso da Finasterida requer cautela, e ela só deve ser utilizada mediante prescrição médica.

Alguns relatos de pacientes do sexo masculino que se submeteram ao tratamento para calvície com Finasterida, apontam que o medicamento pode levar a impotência sexual.

Nos acompanhe na leitura e entenda melhor os efeitos colaterais da Finasterida.

 

Qual o mecanismo de funcionamento da Finasterida?

 

Inicialmente o uso da Finasterida estava associado apenas a quadros de hiperplasia prostática benigna e câncer de próstata.

Ao longo do tempo, estudos mostraram a eficiência da Finasterida também no tratamento da calvície.

A Finasterida atua reduzindo os níveis de di-hidrotestosterona (DHT), que é uma das principais causas de queda capilar, principalmente nos pacientes do sexo masculino.

Em resumo a Finasterida auxilia na reversão do processo de calvície, favorecendo a prevenção de perdas adicionais de cabelo e permitindo o aumento do crescimento capilar.

A dose recomendada para pacientes em tratamento capilar é a de um comprimido de 1 mg, a ser utilizado diariamente pelo tempo de duração do tratamento.

A Finasterida é um medicamento de tratamento a longo prazo, com isso seu uso pode ser prolongado por até 2 anos, a depender da recomendação médica.

 

Quais são as contraindicações da Finasterida?

 

A Finasterida é um medicamento seguro para uso daqueles pacientes que não possuem sensibilidade a nenhum dos componentes de sua fórmula.

É um medicamento prescrito geralmente para pacientes do sexo masculino, sendo raros os casos de mulheres que fazem tratamento para calvície com a Finasterida.

Como a Finasterida se trata de um medicamento teratogênico, caso uma paciente em tratamento engravide, o feto nascera com má formação.

Por isso, além da Finasterida não ser recomendada para mulheres, é um medicamento proibido para pacientes grávidas ou em idade fértil.

 

A Finasterida causa impotência sexual?

 

Faltam estudos que atestem essa questão, mas sabe-se que a Finasterida pode causar dificuldades em ter ereções e mantê-las, além de diminuição da libido.

Por esse motivo, alguns dermatologistas evitam a prescrição de Finasterida para pacientes que com idade acima dos 40 anos, onde as taxas de testosterona tendem a diminuir, justamente para evitar que o paciente sofra com esses efeitos colaterais.

Alguns médicos acreditam inclusive que apesar de sua comprovada eficiência no tratamento da calvície, com o tempo a Finasterida possa deixar de ser prescrita com esse fim.

Pacientes que estão em tratamento para ter filhos também não podem fazer o uso da Finasterida, justamente por afetar a saúde sexual masculina.

Determinar o uso ou não da Finasterida é uma tarefa do dermatologista especialista que acompanha o paciente.

O fato é que muitos pacientes mesmo ciente dos riscos que a Finasterida pode apresentar, optam por dar continuidade no tratamento.

Inclusive muitos pacientes podem não sentir os efeitos colaterais da Finasterida, ou senti-los em menor intensidade.

A venda de Finasterida é regulamentada pelos órgãos de saúde pública, por isso não é possível adquirir por conta própria, sendo necessário possuir receita médica.

Esse é um dos mecanismos adotados, com o objetivo de impedir que pessoas façam o uso de Finasterida sem a devida indicação médica.

 

Caso o médico especialista indique a Finasterida como parte do tratamento para calvície, é importante estar ciente dos efeitos colaterais que podem acompanhar o uso deste medicamento.

 

Acompanhe nosso blog e fique por dentro de outros assuntos relacionados ao tema. Nos vemos na próxima!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *